Equalizadores de luz !

Na semana de design de Londres, a Established & Sons abrigou em seu showroom uma instalação de luz do artista Faye Toogood que consiste basicamente em uma mesa com diversos interruptores que são conectados a fluorescentes tubulares fixadas em uma parede revestida em páineis de zinco iridescente.

ImagemImagemImagemImagem

Quando os usuários interagem com a obra, ligando e desligando os diversos interruptores da mesa, a parede se transforma em um grande equalizador ! Adoramos esta instalação, e vocês?

Anúncios

O Mestre da Luz

Codinome dado para Henning Larsen, arquiteto dinamarquês, por utilizar nos seus projetos como um dos elementos fundamentais a iluminação natural e artificial. Por que ele está tendo o seu espaço no blog? No dia 22 de junho, aos 87 anos, Larsen faleceu enquanto dormia.

Mas vamos homenageá-lo mostrando as suas melhores obras! Afinal, deste mundo nada se leva!

Até hoje, poucos são os arquitetos que realmente conseguem dominar com maestria e qualidade todas as condicionantes para a excelência na projetação.

Contando com mais de 200 profissionais ao seu dispor no seu escritório baseado em Copenhagen, Larsen era responsável por desenvolver projetos em todo o mundo.

De traços característicos, assim como Niemeyer, este ano uma de suas últimas obras finalizadas, a Harpa Concert Hall and Conference Centre, ganhou o prêmio Mies Van der Rohe 2013. O projeto, situado na cidade de Reykjavík da Islândia, conta com a  colaboração da empresa local de arquitetura, arquitetos Batteríið e se inaugurou em agosto de 2012.

Imagem

Transparência, luz e natureza foram os conceitos chave para o projeto.

A obra, localizada entre a terra e o mar, se destaca por refletir a paisagem – porto e céu – e a animação da cidade. As auroras boreais e a dramaticidade da natureza da Islândia serviram de inspiração para o projeto.

As montanhas maciças aparecem formalmente nas salas, formando um forte contraste com a fachada expressiva e aberta. A maior sala, a sala principal de concertos, se localizada no centro.

As fachadas foram elaboradas com a colaboração entre Henning Larsen Architects e Olafur Eliasson (sim! ele novamente aqui entre nós) e a empresa de engenharia RambøllArtEngineeringGmbH . A fachada sul, por exemplo, é feita em vidro e aço com um sistema geométrico modular de mais de 1000 módulo,  Semelhante a um caleidoscópio de cores.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Harpa_Concert_Hall_02

Harpa_Concert_Hall_05

imagens do site Henning Larsen Architects

Energitismo. O Manifesto

 

O blog aborda principalmente a iluminação – natural e artificial. Porém a segunda não pode existir sem o elemento base: a energia. E é por esta mesma, hoje em dia tão em voga com as fontes renováveis, que eu venho escrever a matéria de hoje.

SIm, o nome é estranho mas você pode conferir no site do próprio movimento energitismo.org.

A ideia é a vontade de colocar em prática o que várias pessoas com certeza já pensaram:

Porque as tecnologias de energia devem ser sem rosto, sem identidade e sem dignidade? Por que a maioria das usinas de energias renováveis devem ser consideradas pouco atraentes? Por que elas são tratadas como pragas que infestam as nossas casas?

O movimento, criado por Claudia Bettiol, visa uma nova tecnologia filosófica. Como? Chamando a atenção de designers, artistas, arquitetos e afins, porque “cada artefato deve ser o fruto de três qualidades: ser estrutural, funcional e estético.”

Eu por exemplo, já me peguei pensando porque certas coisas que nos são úteis todos os dias não são pensadas com um design inteligente. Afinal, qualquer máquina ou objeto para executar bem a sua função não precisa ser feio. O ser humano é dotado da visão e é através dela que detectamos o belo e o feio. E muitos estudos comprovam, o belo nos faz bem.

Por enquanto, praticamente todas empresas que estão investindo na produção de fontes de energias renováveis estão preocupadas no sistema, esquecendo a forma final. Olhanda para a História da Humanidade, uma civilização bem sucedida o foi ao seu tempo porque conseguiu conciliar todas as três características.

Em outubro, o desafio lançado pelo Manifesto ganhará vida na Bienal em Vicenza com o “Energitismo Exhibition”. Entre os artistas que irão participar estarão:

  • Orproject, escritório de arquitetura e design de Londres.
  • Luisa Elia, artista italiana de Lecce.
  • Alberto Tessaro, comandando a Enessere.
  • Fabrizio Borello, desenvolvedor de construções renováveis.
  • Jeroen Verhoeven.
  • Simone Giostra, arquiteto do escritório Giostra&Partners especializado em projetos de arquitetura sustentável
  • Theo Jansen, artista holandês.

Abaixo seguem algumas imagens do que está se propondo no momento:

Stuttgart University.

Solar Tree by Ross Lovegrove. Artemide. Poste urbano a LED com painéis solares.

energia eólica: Simen Super 4 8iRm

Aeroporto de Marrakesh.

detalhe das zenitais.

Solar Balloon

Assim como o tema deste blog, o homem é energia pura, intensa e dinâmica. Somos nós quem desenvolvemos a tecnologia e as cidades. Devemos vivê-las com a plenitude que elas nos oferecem e tornando o nosso modo de viver “renovável” em também bonito, agradável aos olhos.

E para finalizar essa iniciativa mais do que bem pensada, se pode concluir com uma citação de Einstein, muito objetiva para este manifesto e o momento que vivemos hoje:

“Não podemos ter a pretensão de que as coisas mudem se continuamos a fazê-las da mesma maneira. A crise é a melhor coisa que pode acontecer às pessoas e a inteiros países porque é a crise que traz o progresso.

A criatividade nasce da ânsia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nasce a invenção, a descoberta e as grandes estratégias.

Quem supera a crise supera a si mesmo sem ser superado. Quem atribui a suas perdas e erros à crise, violenta o próprio talento e respeita mais os problemas que as soluções.

A verdadeira crise é a crise da incompetência. O erro das pessoas e dos países é a preguiça de procurar por soluções.

Sem crise não existem desafios, sem desafios a vida é rotina, uma lenta agonia. Sem crise não existem méritos. É na crise que o melhor de cada um de nós aflora poque sem crise qualquer vento é um carinho.

Falar de crise é criar movimento; acomodar-se nela exalta o conformismo. Ao invés disso, vamos trabalhar duro! A única crise ameaçadora é a tragédia de não querer lutar para superá-la.”

Albert Einstein (1879-1955).

fonte:

 

Rio+20 – debates sobre energias sustentáveis

O Rio+20, que acontecerá no Rio de Janeiro na próxima semana, está prestes a começar e nele serão discutidas questões importantes sobre medidas para um desenvolvimento sustentável que nos guiará nas próximas décadas.

foto: Marília Saccaro

E a questão da energia não poderia ficar de fora. Este elemento presente em nossas vidas 24 horas por dia, que necessitamos para quase tudo o que fazemos hoje em dia. E para isso o retiramos de recursos naturais.
Das reuniões oficiais políticas, terão dois momentos que serão de nosso maior interesse: o debate sobre Cidades Sustentáveis e Inovação e sobre Energia Sustentável para Todos, no dia 18/06/12, onde o Governo Brasileiro, juntamente com as Nações Unidas irão debater as possíveis medidas a serem a adotadas pelos seus dirigentes para melhorar os seus países.

Muitos eventos independentes também se espalharão pela cidade nesta próxima semana, um deles será o TEDxRio+20 (11 e 12 de junho), o debate será sobre o Poder do Ser Humano e a nossa capacidade de pensar, agir e poder de mudança. Achei o tema muito interessante, pois em momentos de mudança é necessário haver um pensamento claro, boas idéias e muita perseverança e coragem para agir.

A sustentabilidade não é algo simples, exige um novo pensamento e a colaboração de tudo e de todos. Implantar novos pensamentos e idéias em uma sociedade que sempre fez um processo igual por anos é difícil, porém com a colaboração de todos e acreditar na nova idéia lhe dá o poder de mudar.
A conferência se preocupou desde o inicio com a sustentabilidade do evento e foram criados manuais descritivos para as instalações efêmeras e temporárias que foram construídas para o evento. Houve sempre a preocupação em utilizar o máximo possível da luz natural em abientes onde isso será possível. Para a geração de energia, serão utilizados nos geradores diesel misturado com 20% de Biodiesel.
Para a iluminação artificial, foram utilizadas as lâmpadas mais eficientes do mercado, como LED, fluorescentes T5 e vapor metálico. Para as áreas externas foi preciso haver cuidado com a questão pouco discutida aqui no Brasil que é Poluição Luminosa, deixando apenas luminárias orientáveis e luz indireta. As lâmpadas permitidas para as áreas externas são vapor de sódio e LED.
Acho muito importante de tenhamos cada vez mais consciência e que dentro do possível possamos fazer a nossa parte para um desenvolvimento cada vez mais sustentável, tanto em nossas casas como no nosso trabalho e tudo isso refletido em tudo que projetamos.

Cor e Luz.

Chegou a hora de mostrar alguns projetos de iluminação. Passeando por alguns dos meus favoritos sites de design, acabei me deparando com um apartamento muito interessante no DesignBuzz.

A Anna Marimenko, artista e designer, desenvolveu este apartamento para hóspedes. Com a vantagem de ser um espaço de estadia breve, ela resolveu brincar com elementos e cores marcantes. E fez das luminárias composições que se harmonizaram perfeitamente aos ambientes e ao colorido, se mimetizando ao mobiliário.

Sobre as cores, ela tentou chegar a um equilíbrio, sem ser demasiadamente repetitivo e cansativo para os olhos, e sem ser apenas “uma mancha colorida num fundo branco”, como ela mesma definiu. O resultado ficou muito interessante, quebrando o cotidiano monótono e monocromático. O segredo para as cores não pesarem tanto? Piso e teto brancos. Parece besteira, mas faz toda a diferença na percepção espacial final.

No projeto ela utilizou produtos de renome e fama internacional, principalmente made in Italy.

Para a iluminação, foram utilizadas luminárias da mesma forma mas com dimensões e aplicações diversas: as esferas das linhas Castore e Dioscuri, ambas desenhadas por Michele De Lucchi e produzidas pela Artemide, com o difusor em vidro, e as lâmpadas suspensas BingoIngo da Alt Lucialternative, criação de Admir Jukanovic.

Na Sala de Estar se pode entender o conjunto das cores e luminárias escolhidas. Suspensas, tipo plafond ou apoiada na mesa, a uniformidade se dá pela forma esférica e difusão luminosa. Design Michele De Lucchi - Castore e Dioscuri de Artemide.

O hall do apartamento conta com a iluminação principal fornecida pelo Established & Sons Corner Light de Peter Bristol. Uma idéia interessante para quebrar a ortogonalidade dos ângulos do ambiente, se destacando também do amarelo presente em todo o espaço. Apoiada na prateleira, vemos a versão de mesa da Dioscuri.

Na cozinha as luminárias suspensas BingoIngo auxiliam o momento de cozinhar, colocando uma luz concentrada na superfície de trabalho manual. Dica importante para ver bem o que se faz, evitando correr riscos de acidentes domésticos. No corredor de passagem, para valorizar a altura do espaço, foi a vez de uma composição de Dioscuri em diferentes diâmetros.

O layout luminotécnico esquemático com as imagens das luminárias escolhidas.

 

Aqui foram citados:
Artemide
ALT Lucialternative
Peter Bristol
Anna Marimenko
DesignBuzz