A luz de Bruce Munro

Hoje vamos apresentar a arte de Bruce Munro.

Este artista britânico utiliza a luz como forma de expressão em sua arte e leva em consideração a interação humana como troca de experiências.

Bruce tem a tendência de usar componentes e materiais reutilizados de forma criativa, além de integrar tudo isso com o manuseio da luz. Com isso ele nos traz obras de arte temporárias porém que ficam marcadas para sempre pela sua beleza.

Clique nas imagens abaixo para visualizar a obra de Bruno :

Equalizadores de luz !

Na semana de design de Londres, a Established & Sons abrigou em seu showroom uma instalação de luz do artista Faye Toogood que consiste basicamente em uma mesa com diversos interruptores que são conectados a fluorescentes tubulares fixadas em uma parede revestida em páineis de zinco iridescente.

ImagemImagemImagemImagem

Quando os usuários interagem com a obra, ligando e desligando os diversos interruptores da mesa, a parede se transforma em um grande equalizador ! Adoramos esta instalação, e vocês?

Fuorisalone 2013

Depois de uma semana em Milão, com muita caminhada em busca das novidades na nossa área, voltamos com algumas novidades que acreditamos que serão tendência!

Com a nossa experiência de outros anos no Salone e nos Fuorisalone, não podemos deixar de observar que a crise financeira na Europa afetou todos os campos da sociedade e a questão da criatividade e viabilidade de projetos e produtos ficou mais limitado. Foi possível notar que uma solução para isso foi a derivação de produtos que já haviam sido lançados nos anos anteriores  Mas claro, há sempre uma luz no fim do túnel e ainda há grandes empresas e muitos jovens designers que conseguem trazer à tona novas formas e idéias em meio a um clima de contenção financeira e, pode-se dizer também, artística.

Neste post falarei mais sobre os Fuorisaloni, onde neste ano encontramos não somente a tradicional Via Tortona mas também muitos outros bairros da cidade que apresentavam produtos e idéias muito interessantes.

O museu dedicado ao desgn, o Triennale di Milano, remodelou a sua mostra permanente com o tema A Síndrome da Influência, onde nos mostra os grandes nomes do design italiano pós-guerra e os novos artistas que hoje ainda são influenciados por eles. Muito interessante a retrospectiva. Também uma mostra interessante é sobre a obra de Iosa Ghini, um grande designer que leva a sua criação intimamente ligada à mídia, com esse conceito, desenvolveu muitas logomarcas e conceitos para muitas lojas que muitas vezes a utilizamos e nem sabemos que por trás daquilo tem todo um pensamento de um grande designer! Exposta em ordem cronológica, podemos ver um pouco do seu trabalho nas diversas áreas e seus maravilhosos croquis!

Este slideshow necessita de JavaScript.

O que mais gostei e achei interessante foi a região da Via Ventura, onde são apresentados os projetos e objetos de muitas escolas de design da Europa, sendo os mais interessantes os belgas, dinamarqueses, ingleses e escandinavos. 

Notamos que foram muito utilizados os materiais como cobre (tanto polido como oxidado), vidros com esfumatura parcial (apenas onde há a fonte luminosa), utilizo de tubos metálicos, papel tratado utilizado como difusores.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Já na Via Tortona, achamos interessante a instalação luminosa feita pela Hyundai, chama Fluidic, onde as pessoas podem interagir com a instalação, movimentando a massa de luz produzida por lasers.

IMG_8236 IMG_8232

Outro produto que nos chamou a atenção foi a lâmpada da Gispen, situada no SuperStudioPiù, na Via Tortona. O produto consiste em uma esfera dividia em duas partes onde cada parte pode ser controlada separadamente, podendo mudar de cor e dimerizar a luz.

A Melogranoblu também trouxe ao SuperstudioPiù uma instalação luminosa com a sua luminária difusa Drop.

???????????????????????????????

Saindo do burburinho da Via Tortona, porém não menos agitada, na Via Savona encontrava-se o pavilhão da Moooi, com suas novidades e uma belíssima cenografia para a sua nova coleção, você pode conferir um giro 360º pelo pavilhão no site www.moooi.com.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nos próximos posts, falaremos mais sobre os outros locais Fuorisalene e a feira Euroluce!

Até em breve!

Fortuny 110 anos!

Quando um objeto de design se transforma em um ícone, ele simplesmente torna-se atemporal, sempre contemporâneo, e é exatamente isso que acontece com a maravilhosa luminária pedestal Fortuny, que hoje completa 110 anos!!

Elaborada no início do século passado, Mariano Fortuny era não somente um pintor mas sim uma pessoa multidisciplinar e soube desenvolver muitos talentos não só na pintura e na fotografia mas principalmente na moda e na iluminação. Ficou famoso em devido às suas criações em tecidos luxuosos e no modelo de vestido Delphos que ganha admiração ainda nos dias de hoje.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Porém a sua obra que mais nos apaixona é a luminária Fortuny, onde naquela época pode estudar em como ter uma iluminação difusa e aconchegante. Hoje, patenteada pela Pallucco, possui diversas versões inclusive com o utilizo dos tecidos puro luxo da Fortuny na cúpula da luminária!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma peça de design-desejo!

A luz e o cinema

Outro assunto que nos fascina é o cinema! Nada mais lógico falar de luz e falar de cinema.

E que papel a luz desempenha na sétima arte?

Como na fotografia e na pintura, a matéria-prima que materializa as imagens e as idéias é a luz. A câmera é apenas o meio de conexão entre esses elementos sobre a luz e a emoção do espectador.

As imagens estruturam um filme, são elas que traduzem, de uma forma não textual, o modo de enxergar a história a ser contada. Porém não podemos esquecer que no cinema não são as imagens que fazem um filme e sim a alma delas.

E o que dá sentido a essas imagens se não a luz? É função dela criar ambientes, cenas, contrastes, mostrar o que deve ser destacado e esconder o que deve ser mistério, é ela que traz ao espectador algo que vai além do visível – a dramaticidade.

No Cinema Noir, movimento que surgiu entre as décadas de 40 e 50 em que se narravam histórias geralmente policiais, o utilizo intenso de contraste entre escuro e claro eram predominantes para dar ênfase na dramaticidade da história.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Já no Cinema contemporâneo a luz serve para dar realidade às cenas e ambientes.  Porém ela não serve apenas para registar a imagem e sim para inserir a mensagem que está por trás daquela imagem, a luz é muitas vezes a identidade visual de um filme, é a poesia. Nos filmes atuais há toda uma equipe envolvida na Fotografia do filme, onde se estudam todos esses aspetos como enquadramento, foco e luz nas cenas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Hoje a iluminação no cinema aparece muito mais sutil aos nossos olhos, porém muito mais poderosa no seu efeito subjetivo que nos faz entender e nos emocionar com essa arte que é o cinema!

Março!

Começando não apenas mais uma semana como também um novo mês!

Para inspirar, achamos bacana a coleção “Shapes of Cities” do artista Yoni Alter em que ele ilustra as principais cidades do mundo com uma cartela de cores que se adicionam quando interseccionadas!

51315a89b3fc4b6a4100008a_arte-y-arquitectura-coloridos-carteles-muestran-la-silueta-de-cada-ciudad-comparando-las-alturas-de-sus-edificios_3

Os principais edifícios dessas cidades são identificados com uma cor conforme a sua altura, assim podem ser comparados com os edifícios das outras cidades!

Março, seja bem-vindo!

Este slideshow necessita de JavaScript.