Quando a luz é um divisor

2014, Novembro. No dia 09 do mês de novembro, neste ano, serão comemorados os 25 anos desde que Berlim voltou a ser uma só cidade.

A queda do muro, que inspirou a música de Pink Floyd e que sobretudo rendeu imagens belíssimas reportando a liberdade de uma população inteira ao ter o seu direito de ir e vir devolvido, famílias que se reencontraram depois de décadas, foi um dos maiores símbolos perpetuados no século XX da vitória da democracia.

Passados estes 25 anos, Berlim se reconstruiu sem esquecer da sua História, por ela e para que o significado da queda do muro seja sempre relembrado, entre os dias 7 e 9 de novembro, o muro retornará. Retornará de uma maneira um tanto inusitada e muito interessante: será recriado o traçado do muro através do elemento chave do nosso blog, a LUZ.

LICHTGRENZE

No total, serão mais de 8.000 balões luminosos, inflados com gás hélio, dispostos ao longo de 15km, dividindo novamente a Berlim em oriental e ocidental. Nos trechos onde ainda existem partes do muro histórico, serão compartilhadas ainda 100 histórias reais que tiveram o muro como personagem principal. E, ao fim da tarde do dia 09, milhares de moradores irão até o seu respectivo balão, colocarão a sua mensagem nele e depois o lançarão ao ar ao som da 9º Sinfonia de Beethoven “Ode an die Freunde”.

As 100 histórias e as mensagens dos moradores estão no site https://fallofthewall25.com/ e quem quiser contribuir e fazer parte deste evento pode também deixar a sua mensagem lá. Valem memórias, opiniões, desejos e reflexões sobre o significado da Queda do Muro de Berlim.

Os idealizadores do “muro de luz” Christopher e Marc Bauder entre as estruturas. Delas sairá a luz que iluminará os balões presos na parte superior. Foto de Frank Ebert

WHITEvoid

O escritório de design de Berlim está ajudando a tornar real a ideia dos irmãos Bauder, com o apoio da Robert-Havemann-Gesellschaft e Kulturprojekte Berlin GmbH. O designer Christopher Bauder, designer, resolveu unir o seu conhecimento em instalações cinéticas de LED com a experiência do seu irmão, Marc, cineasta. Os balões, de 60 polegadas de diâmetro, ficarão fixados nas estruturas de 3,40m de altura, correspondendo mais ou menos à altura original do muro.

Para o funcionamento da iluminação de LED nas estruturas dos balões, serão utilizadas mais de 60.000 baterias. E após o lançamento deles no céu, a borracha biodegradável que estão sendo fabricados (material desenvolvido em parceria com a Universidade de Hannover), além do gás hélio, irão se decompor naturalmente pelos fatores ambientais: sol, oxigênio ou bactérias.

Além de ser uma ideia brilhante, toda a engenharia pensada para não comprometer o meio ambiente demonstra o quanto a Alemanha se evoluiu após a Queda do Muro. Um exemplo a ser seguido por todas as nações: recordar da sua História, manter a identidade do seu povo e procurar um futuro melhor para todos.

Na página do facebook você pode acompanhar os preparativos e matérias feitas a respeito:

https://www.facebook.com/lichtgrenze

Anúncios

Euroluce 2013: Preview

Faltando poucos dias para a feira bienal de iluminação, pipocam imagens e informações sobre produtos que serão apresentados.

Entrando no clima de posts anteriores, como a dica em o que está por vir: Most Salone e unido à tridimensionalidade discutida em luz e sombra no papel, eis que uma luminária chamou a minha atenção.

WALL SHADOW – Omikron

Reproduzindo o texto da empresa italiana:

a luminária é um projeto híbrido entre arte e design, que nasceu da pesquisa contínua sobre a tridimensionalidade de superfícies por Kalpakian. O sinal gráfico se transforma em uma textura que se ilumina através da tecnologia LED posicionada no interno dos vários elementos que compões o objeto, criando um verdadeiro quadro de sombras.

Complicado? Basta olhar as imagens para entender perfeitamente!

Imagem

imagem reproduzida do portal Lightingbit

Imagem

imagem reproduzida do portal Lightingbit

O idealizador, Charles Kalpakian, nascido no Líbano e de pouco mais de 30 anos, vem se destacando nos últimos anos no cenário internacional do design, como nas Design Week de Milão e Paris.

Charles Kalpakian merece ficar sob a nossa atenção!

MAIS

http://www.omikrondesign.com

http://www.lightingbit.com

o que está por vir: Most Salone

Faltando pouquíssimo para mais uma edição da Feira Internacional do Móvel em Milão, e começam a pipocar as novidades que serão apresentadas em vários sites, blogs e portais do design. Você pode conferir a descrição dos Salões deste ano no site oficial, clicando aqui.

Este ano, assim como ocorre bienalmente, a Euroluce acompanhará a feira. O momento é de expor tudo o que está sendo desenvolvido no campo da iluminação, principalmente as luminárias que estarão disponíveis nos próximos meses. 

Muitas empresas aproveitam para lançar um número elevado de protótipos para entender o quanto agrada o público e só então partir para a produção em escala industrial. 

Paralelo aos stands da feira, Milão se enche de eventos e mostras, o famoso Fuori Salone. Aliás, para quem se encontrará em Milão durante a feira, recomendo e muito dar uma conferida na programação deste ano do Fuori Salone. A cidade transborda vida como nunca! 

Neste ano, Tom Dixon participa do Most Salone com uma série de luminárias que trata dois temas contrastantes: a ‘rugosidade’ e a ‘maciez’. Em parceria com a Adidas para a mostra, a equipe de Dixon promete uma experiência única no percurso do seu espaço.

 

Imagem

 

Onde?

Museo della Scienza e Tecnologia (vale a pena dar uma passada por lá em qualquer época do ano para ver o acervo de máquinas e manuscritos de Leonardo Da Vinci)

Quando?

Durante a Feira Internacional, de 09 a 14 de abril de 2013.

 

 

luz e sombra no papel.

Batendo sempre na mesma tecla, a LUZ é a responsável por nos dar a terceira dimensão. Deixar tudo visível e volumétrico através do contraste de luz e sombra.

Volumétrico = 3D = 3 dimensões = largura x comprimento x profundidade (altura)

Pois bem, a luz na arte é o que dá a sensação de transformar um material bidimensional em tridimensional. Quem é estudioso do tema, sabe que a evolução histórica da pintura está estritamente ligada ao domínio da reprodução e da capacidade em dar volumetria e destaque através do contraste de claro-escuro.

Nos tempos de hoje, um ilustrador mostra a sua sensibilidade sobre o papel. Através de jogos de sombra (e lembremos que sem a luz isso não aconteceria), ele transforma o material nos fazendo esquecer das limitações bidimensionais do materiais e criando sensações volumétricas.

Eiko Ojala.

A dinamicidade dada ao papel através dos traços curvos, os diferentes planos e sombras são as características do talento deste ilustrador. De Tallin, Estônia, ele foi nominado no “Young Illustrators Award”.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Fonte:

Imagens:

Cor e Luz.

Chegou a hora de mostrar alguns projetos de iluminação. Passeando por alguns dos meus favoritos sites de design, acabei me deparando com um apartamento muito interessante no DesignBuzz.

A Anna Marimenko, artista e designer, desenvolveu este apartamento para hóspedes. Com a vantagem de ser um espaço de estadia breve, ela resolveu brincar com elementos e cores marcantes. E fez das luminárias composições que se harmonizaram perfeitamente aos ambientes e ao colorido, se mimetizando ao mobiliário.

Sobre as cores, ela tentou chegar a um equilíbrio, sem ser demasiadamente repetitivo e cansativo para os olhos, e sem ser apenas “uma mancha colorida num fundo branco”, como ela mesma definiu. O resultado ficou muito interessante, quebrando o cotidiano monótono e monocromático. O segredo para as cores não pesarem tanto? Piso e teto brancos. Parece besteira, mas faz toda a diferença na percepção espacial final.

No projeto ela utilizou produtos de renome e fama internacional, principalmente made in Italy.

Para a iluminação, foram utilizadas luminárias da mesma forma mas com dimensões e aplicações diversas: as esferas das linhas Castore e Dioscuri, ambas desenhadas por Michele De Lucchi e produzidas pela Artemide, com o difusor em vidro, e as lâmpadas suspensas BingoIngo da Alt Lucialternative, criação de Admir Jukanovic.

Na Sala de Estar se pode entender o conjunto das cores e luminárias escolhidas. Suspensas, tipo plafond ou apoiada na mesa, a uniformidade se dá pela forma esférica e difusão luminosa. Design Michele De Lucchi - Castore e Dioscuri de Artemide.

O hall do apartamento conta com a iluminação principal fornecida pelo Established & Sons Corner Light de Peter Bristol. Uma idéia interessante para quebrar a ortogonalidade dos ângulos do ambiente, se destacando também do amarelo presente em todo o espaço. Apoiada na prateleira, vemos a versão de mesa da Dioscuri.

Na cozinha as luminárias suspensas BingoIngo auxiliam o momento de cozinhar, colocando uma luz concentrada na superfície de trabalho manual. Dica importante para ver bem o que se faz, evitando correr riscos de acidentes domésticos. No corredor de passagem, para valorizar a altura do espaço, foi a vez de uma composição de Dioscuri em diferentes diâmetros.

O layout luminotécnico esquemático com as imagens das luminárias escolhidas.

 

Aqui foram citados:
Artemide
ALT Lucialternative
Peter Bristol
Anna Marimenko
DesignBuzz

Jacopo Foggini

Mais um exemplo em que a arte e a luz se encontram e se complementam são as obras de Jacopo Foggini.

Nascido em Turim e hoje possui seu Studio em Milão, elabora suas obras a partir de um único material: o metacrilato. Uma resina termoplástica, sintética e econômica, utilizada em fábricas de carros para compor dos refletores dos faróis dos carros, onde destas são feitas milhares de cópias por dia.

Pois Foggini descobriu ali um material que poderia ser usado longe da produção em massa e sim criar objetos de design e de arte únicos, artesanais e poéticos.

Então com uma máquina que ele próprio inventou, leva o metacrilato a 200ºC, transformando-o em uma espessa massa onde depois ele molda com as próprias mãos, formando objetos que pariam entre os conceitos arte e design.

Como o metacrilato, além de ser um material que possibilita infinitas formas, é um material translúcido e a luz se torna fundamental para que a sua obra crie vida e realce suas cores.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Suas obras já foram expostas em muitas galerias pelo mundo e também Foggini produz uma variedade de obras que complementam a arquitetura, como paredes inteiras trabalhadas em metacrilato em diversas cores com retro-iluminação, para um hall de hotel por exemplo.

Algumas das obras que pude visitar pessoalmente, foram as expostas na época do Salone Del Mobile, que acontece todo abril em Milão. O espaço escolhido é o pátio interno da Università Statale di Milano, um dos edifícios antigos mais belos da cidade e nesta época serve de palco para diversos artistas, entre eles Jacopo Foggini.

Em 2009, ele apresenta a obra (Re)Fuse, em que ele utiliza todos os restos de outras obras e as recicla, criando um grande mar de diferentes formas, cores e transparências.

Em 2010, foi a vez da mostra Golden Fleece, onde ele cria um elemento translúcido com luz colorida refletida sobre ele, suspenso no ar. Como o tema daquele ano era repensar sobre o futuro, ele quis passar a reflexão de não deixarmos de sermos nômades, que não deixemos de mudar para que tenhamos um mundo melhor no futuro.

Em 2011 foi a vez de Plasteroid, um planeta, um novo mundo, onde o artista nos levou a refletir sobre como tudo hoje se tornou descartável e nos remete ao retorno às preocupações com a natureza.

Jacopo Foggini é um artista do nosso tempo, onde ele tira idéias criativas a partir de elementos simples, recriando-os, nunca esquecendo os seus princípios, origens e preocupação ambiental.

Referências e imagens: http://www.jacopofoggini.com/

                                        http://www.leonardo.tv/DesignBook/page/jacopo-foggini.aspx