Tom Dixon apresenta: LUSTRE

Tom Dixon, marca britânica relativamente nova no mercado, que desde 2002 desenvolve produtos de design e luminárias, mais uma vez vem anunciar uma série muito interessante.

Se trata da coleção LUSTRE. Em parceria com uma empresa familiar holandesa, que há 5 gerações trabalha com a pedra grés, foram desenhados 4 modelos sendo inspirados nos templos maias e na art-decó .

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por ser uma produção artesanal, cada luminária feita é única, com a imperfeição humana dando personalidade a ela. A própria cor depende da distribuição dos pós iridescentes da pedra grês, obtidos a 1200 ºC, no esmalte (receita superultrasecreta) por isso é improvável que se consiga obter o mesmo tom em mais de uma peça.

No vídeo abaixo você pode conferir o making of e de onde vieram as inspirações para o design.

Mais informações você pode ter diretamento no site da Tom Dixon, clicando aqui.

Anúncios

Horário de verão: seja bem-vindo!

Muito bem, hoje entrou em vigor o que, nós aqui no Brasil, chamamos de horário de verão.

Por que este nome?

A pergunta é relativamente óbvia: o horário é adotado durante o verão, porque nas regiões mais distantes do Equador, os dias são mais longos.

Se vocês olharem no mapa abaixo, dá para ver esta relação diretamente aplicada. As regiões próximas à linha do Equadro acabam tendo pouca interferência durante o ano inteiro entre a duração do dia e da noite. Logo, colocar em prática a mudança de horário não tem muito fundamento.

Em azul, os países que aplicam o horário de verão. Em laranja, aqueles que já utilizaram o recurso mas hoje em dia não está em vigor. Em vermelho, aqueles que nunca aderiram.

Sempre recebendo a explicação da economia efetiva no consumo elétrico, fico me perguntando: mas como e quando decidiram pular 1h de uma nação inteira? (medida muito corajosa, eu diria!)

1784. Antes mesmo que existisse a energia elétrica – e consequente problema de horários de pico – Benjamin Franklin, político e inventor americano, teve a ideia de adiantar o relógio em uma hora para aproveitar melhor as horas de sol. Porém ele não conseguiu sensibilizar o governo dos Estados Unidos. Teve o seu artigo publicado também na França, ressaltando a possível economia em cera de vela, sem resultados efetivos.

1907. Mais de 100 anos depois, na Inglaterra, o construtor William Willett – integrante da Sociedade de Astronomia Real –  tentou persuadir a sociedade. A motivação: haver mais tempo para o lazer, reduzir a criminalidade e reduzir o consumo de luz artificial. Também sem sucesso.

1916. A Alemanha entra para a História como o primeiro país a adotar oficialmente o horário de verão. Reparem na data, durante a Primeira Guerra Mundial eles decidiram adiantar o ponteiro do relógio para economizar o carvão!

Pegando a onda da Alemanha, outros países europeus – envolvidos na Guerra – e também os Estados Unidos, acabaram adotando a medida nos anos seguintes.

1931. O Brasil passa a seguir a medida, visando a economia no consumo de energia elétrica. Abaixo você confere a advertência do Observatório Nacional.

1932, O decreto

Aqui, foi estabelecida como regra, a adoção do horário de verão a partir do terceiro domingo de outubro até o terceiro domingo de fevereiro, com exceção do ano em que o feriado de Carnaval cai no mesmo domingo. Um evento talmente importante tem a capacidade de adiar para mais uma semana o horário de verão!

Como curiosidade, a confusão acontece quando os Estados que não aplicam a medida – a maior área territorial do Brasil fica próximo ao Equador – tem que adaptar os programas de televisão para não alterar o dia-a-dia da população.