Luminale 2012 no Jardim Botânico

Estando a trabalho na maior feira bienal de iluminação acaba não dando muito tempo para aproveitar a cidade e eventos pós-feira.

Pois bem, remexendo nas minhas fotos encontrei algumas feitas durante a visita no Jardim Botânico de Frankfurt. A brincadeira das instalações é surpreender o visitante em meio à vegetação. Deu certo, não?

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

abril. o mês da luz.

Uma feira que acontece a cada dois anos e este ano chega na sua sétima edição. Está se aproximando o momento de participar deste evento, cada vez mais consagrado, no que se refere a mostrar ao público toda a pesquisa e produção na iluminação mundial, eletrotécnica, gestão e controle da luz.

Estou falando da Light+Building, que acontece sempre em abril, frequência bienal, em Frankfurt Alemanha. Quem é da área sempre dá um jeito em aparecer para ver as tendências dos próximos anos.

Image

Na última edição que se realizou em 2010, a feira atraiu mais de 180.000 visitantes, sendo 43% dele do exterior. A atração que acaba fidelizando e ampliando o seu público, é o fato que dentro da feira você encontra praticamente tudo o que está ligado com a iluminação: luminárias de design das maiores e mais renomadas empresas do mundo, componentes luminotécnicos e acessórios.

Em 2010, a cidade de Frankfurt contou com eventos paralelos à manifestação: teve a premiação da segunda edição do Concurso de Idéias do AIDI – Associação Italiana de Iluminação – com parceria do Gruppo Cariboni, há mais de 100 anos atuando na área energética.
A iniciativa, voltada para o mundo universitário se destaca pela sua importância cultural e didática teve como vencedores Francesco Guastella e Saara Sofia Ingeborg Jaaniten com o produto “Twist”, desenvolvido para o âmbito urbano.

Além dos tradicionais nomes, já consolidados no mercado luminotécnico mundial como Axo Light, Artemide, Catellani&Smith, Flos, IGuzzini, algumas empresas se destacarams em 2010 que ganharam espaço na mídia. São elas:

Lucente – fabricante de luminárias para ambientes interno, a luminária de piso Semjase impressionou pela sua dimensão. Desenhada pelo Studio Santantonio. Com a estrutura em poliuretano expanso, se destaca pelo perfil delgado, remetendo às imagens”extraterrestres”. O arco acaba permitindo uma área mais ampla iluminada auxiliada pela orientabilidade da parte superior.

Image

Image

O projetor Kalypso desenhado por Paolo De Lucchi, em versões suspensa, à parede e tipo plafond foi outro destaque da marca. A particularidade do produto é dada pelas bolhas escavas na parte superior da calota. A grande jogada é também o utilizo da tecnologia a LED, com baixo consumo de energia e por isso mais procurada.

Image

Sao, luminária fixada na parede ou teto e Style, com aplicação a suspensão ou parete, foram outros dois produtos muito comentados para o uso não só residencial mas também do setor Contract, Hoteleiro.

Image

Metalspot – outra empresa italiana que tem como lema o respeito pelo ambiente e a atenção ao detalhe e apresentou muitas propostas com LED. O modelo Epsilon, suspenso, tem como designer o famoso Karim Hashid. O diferencial é o material utilizado: espelho AntichMirror.

Image

Já a suspensão Tratto brinca com a leveza dos prismas luminosos.

Image

O mundo visto pelos astronautas

Nos afastando do planeta teríamos idéia do quanto a civilização marca o território através da iluminação.

Fotos noturnas mostram a interferência da vida urbana na paisagem, interagindo com outros fatores naturais.

É o caso das fotos feitas pelos astronautas. As mais impressionantes são as que mostram a beleza da Aurora Boreal com a iluminação das cidades causa um efeito contrastante da monocromia da artificialidade das lâmpadas com a intensidade de cores da atmosfera.

foto AFP feita em fevereiro de 2012. A aurora boreal e o estado de Washington, USA.

foto Andre Kuipers - 28 de março 2012. Em primeiro plano a ilha da Irlanda, seguida pelo Reino Unido com a aurora boreal no horizonte.

Na Europa existe a preocupação do excesso de iluminação utilizada durante a noite. Normas e Recomendações estão sendo elaboradas a níveis nacionais e regionais para controlar o fluxo de luz emitido no espaço.

A questão não nasce do problema do desperdício de energia ou do consumo excessivo de energia elétrica. Ela vai muito além: com tanta iluminação na cúpola celeste, é praticamente impossível para os astrônomos visualizarem as estrelas, constelações e tudo o mais que estiver no espaço. Como o continente é densamente ocupado, os centros de observação se encontram em zonas povoadas, muitas vezes próximas a grandes zonas urbanas.

Levando um pouco adiante esse problema, a fauna e flora também são diretamente prejudicados. Só não ganham tanta importância no discurso porque infelizmente eles quase não existem mais…

Quando vamos começar a tratar a iluminação com a competência necessária?

Halloween Light Show 2011

Hoje, 31 de outubro é o Dia das Bruxas. Um termo que traduzido perde a essência da origem, já que essa é anglo-saxônica. Existem algumas explicações para a sua origem, mas nenhuma delas é considerada “oficial”.

1. Halloween vem do termo ‘noite sagrada’, entre os dias de 31 de outubro e 1° e novembro. Hallow evening acabou sendo encurtada para Halloween.

2. All Hallow’s Eve é o resultado da tentativa da Igreja Católica de restringir as comemorações, entre elas a festa “pagã” do Samhain (fim do verão celta), na noite anterior ao Dia de Todos os Santos. Na verdade, aqui na Itália, ao contrário do Brasil, o feriado é no dia 1° de novembro. All Hallow’s Eve seria então a vigília do dia anterior ao feriado católico.

Com certeza a data remonta há séculos atrás, durante a Idade Média. Bruxas, luz de velas, nos remete ao período antes do iluminismo, do desenvolvimento das tecnologias e entre elas, da luz elétrica.

Muita coisa mudou desde então, e a festa é mais famosa pelo sucesso dela nos Estados Unidos, mas na verdade ela foi levada pelos imigrantes, irlandeses, ingleses, de etnia e cultura celta. A visão desse povo em relação à luz natural – dia e noite – era muito diferente daquela vista pela cultura latina.

Eis que entra em cena um cidadão americano, da Califórnia. Há mais ou menos quatro anos ele começou a fazer verdadeiras instalações luminosas na sua casa: Halloween Light Show. Automação e dinamicidade, respeitando o tempo das músicas apresentadas, este ano a versão é a LED RGB, substituindo as lâmpadas tradicionais incandescentes/halógenas. Essa mudança nesse caso é muito bem-vinda pois a economia na potência instalada total se reduz drasticamente. A vantagem do LED em relação aos outros tipos de iluminação – fluorescente, vapor metálico, sódio – é que, assim como a incandescente e a halógena, se pode brincar de ligar e desligar continuamente, que o acendimento é instântaneo e não sacrifica tanto a lâmpada. Dessa forma, a troca realizada nesse ano não compromete o resultado final. Aliás, até o melhora já que como cores em geral são mais intensas e variadas.

Mas chega de papo técnico, vamos aos efeitos obtidos: para quem quiser ver a diferença, no youtube você pode encontrar as instalações dos anos anteriores.no canal do youtube, KJ92508, o mentor e idealizador da idéia disponibiliza os vídeos com as apresentações, realizadas às 19.30, todos os dias, nesse período que antecede a festa. Assim os vizinhos não precisam reclamar, já que tem uma duração curta!

O sistema a LED é comandado por controles DMX, utilizado incialmente nos espetáculos e peças teatrais. A vantagem de tudo isso foi a instalação de um sistema muito mais flexível, com 8x a mais de canais para controlar de forma diferenciada e mais flexível o acendimento de cada elemento luminoso, chegando a um total de 1144 canais.

fonte:

KJ92508

by marinafrigeri

Contemporary Lighting Context

Ao longo das próximas semanas estarei publicando um pouco do material absorvido, escutado e visto em um evento muito bacana de iluminação, realizado nos últimos 3 sábados em Como, Itália.

Eu tive o prazer de estar presente nos dois últimos sábados, mas infelizmente não teve muita participação ativa de Lighting Designers. Uma pena já que, conferências gratuitas, abertas também ao público em geral estão cada vez mais raras. A iniciativa partiu do lighting designer Romano Baratta em colaboração com ComOn, e organizada pela Associação Cultural Erodoto.

O tema englobador do evento obviamente foi a iluminação. Mas no termo mais amplo possível, dando espaço tanto para a iluminação cenográfica, técnica, funcional, como para a discussão da difusão da Cultura da Luz, da profissão do Lighting Designer e da antropologia no contexto.

O interessante nessa estória, não foi usar somente termos técnicos e precisos, compreensíveis apenas para quem trabalha na área, mas transportar esse conhecimento “à luz” de todos.

Situado no quartel De Cristoforis em Como, além das conferências, foram convidados 14 profissionais da área para criar uma instalação luminosa no edifício. Cada um recebeu uma sala em um andar, sempre com as mesmas dimensões, e o enfoque era utilizar a história existente e a impressão que temos de um quartel com o efeito obtido através da iluminação. Dessa proposta inicial surgiram instalações muito interessantes. Aos poucos elas também ganharão espaço aqui.

Para quem tem curiosidade em saber melhor o que aconteceu e não quer esperar a publicação dos posts, no site do Lighting Context citado acima, se pode encontrar todas as informações, fotos e vídeos do evento.

FIAT LUX

Do latim, Fiat Lux foi citado na Bíblia quando Deus então criou o mundo, a vida, e a fez tornar-se vísivel.

Hoje, 29 de outubro de 2011, o moto ‘na velocidade da luz’ me veio em mente, para então dar início a um novo blog, onde eu possa colocar tudo o que for relacionado com a minha escolha de vida, mais do que uma profissão, se trata de uma filosofia de vida.

Trabalhar com a luz não envolve somente a arquitetura e o espaço. Envolve o bem-estar físico, psicológico e fisiológico de quem no espaço vive. Física e psicologia caminham lado a lado com a fisiologia, em modo coerente e completo. A dualidade existe sempre, a matemática pode ser poética, a sombra acompanha a luz.

Pretendo nesse espaço transportar ao conhecimento de todos a cultura da luz. Seja ela natural ou artificial, física ou metafísica.

Bem-vindos ao meu mundo. E que se faça a luz!

por-do-sol em Varsóvia